O mercado de Pilates é muito maior do que costumamos imaginar. Normalmente, quando falamos em realizar um curso de especialização na área, o que vem logo em nossa mente é a opção de dar aula em um estúdio próprio ou de terceiros.

No entanto, os instrutores de Pilates podem atuar em diversas outras frentes. Falaremos um pouco sobre cada uma delas no artigo de hoje.

Antes de mais nada, o instrutor de Pilates pode escolher qual perfil de público deseja atender e qual a forma de trabalho mais adequada para seus objetivos profissionais e para esse tipo de aluno.

É possível focar em Pilates para grávidas, para atletas, para terceira idade e, até mesmo, usar o Pilates como ferramenta para pacientes lesionados e que estão em fase de reabilitação ou que sofrem de algum problema na coluna.

Depois, o instrutor deve escolher uma forma de trabalho, podendo ser o Pilates no solo, em aparelhos, dentro de academias e condomínios ou, claro, a versão mais conhecida, em estúdios.

Vale ressaltar que um estúdio de Pilates não precisa ser apenas aquele tradicional na rua. Também é possível oferecer cursos dentro das academias, de clínicas, de hotéis e, inclusive, criar aulas personalizadas para condomínios e pequenos grupos de pessoas.

Compartilhar: